www.aeel.org.br home | fale conosco
 

Estatuto
Ficha de Inscrição
Informes AEEL
Informes Unergia
Acordos
Normas Eletrobras ACT
Você!
Saúde e Vida
Eventos
Galeria de Imagens
Jogos
Notícias
Processos Judiciais
Sistema Eletrobrás
Eletros
Link's Úteis
Balanço
Fale com a Aeel
Como Votar?
Eleições 2017


 

ÁREA RESTRITA

Para ter acesso ao sistema preencha os campos baixo:





 

 

Esqueci a senha

 


  Notícias
  A empresa Furnas encontrou uma quinta torre de transmissão de energia elétrica caída no município de Cafelândia, no Paraná, a cerca de 2,5 quilômetros de distância das outras quatro torres. Uma forte ventania, que atingiu o estado, foi a causa da queda das torres. Não houve, no entanto, interrupção no fornecimento de energia. Em nota, a empresa informou que “o perfeito funcionamento do sistema de proteção de Furnas impediu qualquer interrupção no fornecimento de energia elétrica para o consumidor, bem como forneceu dados necessários à precisa e imediata localização do ponto de falta”.

-A descoberta de mais uma torre derrubada provocou o envio de mais funcionários no processo de desmontagem das estruturas. Agora, são cerca de 200 pessoas, entre técnicos e pessoal de suporte, trabalhando para correção rápida das torres que têm, em média, 43,3 metros de altura e pesam 14 toneladas. Elas integram o sistema de transmissão da energia gerada pela Usina de Itaipu.

-Esta situação começou no último dia 24/09, às 6:57 da manhã, fortes vendavais no Oeste do Paraná (região de Cafelândia) provocaram a queda de quatro torres do terceiro circuito da linha de transmissão em 765 kV Foz do Iguaçu – Ivaiporã, de propriedade de Eletrobras Furnas.

-Em função do alerta de tempo severo, o ONS havia recomendado a redução da geração de Itaipu 60 Hz, como medida adicional de segurança. Segundo informações do proprietário, o circuito deverá permanecer indisponível por um período estimado em até dez dias.

-De forma a manter a operação do SIN dentro dos padrões adequados de segurança, está sendo adotada a seguinte política operativa:

• A usina de Itaipu 60 Hz terá sua geração programada para 4.200 MW, com no mínimo sete unidades geradoras em funcionamento, de forma que possa permanecer em operação, por meio da rede de 500 kV, mesmo com a eventual perda dos dois circuitos remanescentes de 765 kV.

• O recebimento pelo sistema Sudeste/Centro-Oeste de energia transferida da região Sul (inclusive Itaipu 60Hz) será programado para suportar a perda dupla de circuitos em 765 kV no trecho Ivaiporã – Itaberá – Tijuco Preto.

• O fluxo na interligação Norte-Sudeste será programado de forma a manter a sua integridade, mesmo com a eventual ocorrência de perda dupla em qualquer trecho do tronco de 765 kV associado ao escoamento da produção de Itaipu 60 Hz.

--A crise energética que se configura no Brasil e a demanda crescente por engenheiros em todo o país são sinais de um mercado de trabalho promissor para profissionais interessados em investir em uma carreira inovadora. Diante de um vasto leque de oportunidades, engenheiros de energia têm a oportunidade de trabalhar com o planejamento, a análise e o desenvolvimento de sistemas de produção de diversos tipos de energia - renováveis ou não; da geração ao consumo -, além de estarem aptos para participar de projetos ligados à eficiência energética e ao uso otimizado da energia. Com foco nesse contexto e nos investimentos que devem ser feitos no setor nos próximos anos para evitar crises de abastecimento, a Universidade Positivo (UP) lança o primeiro curso de Engenharia de Energia do Paraná, que terá sua primeira turma em 2015.
  Fonte: http://www.infoenergia.com.br/
  Data de Publicação: 26/09/2014
 
 

Associação dos Empregados da Eletrobras - Telefone /fax: (21) 3553-3501 / (21) 3553-3502
Copyright 2018 - Todos os direitos reservados a AEEL

Desenvolvido por AMANDY SOFTWARE