www.aeel.org.br home | fale conosco
 

Estatuto
Ficha de Inscrição
Informes AEEL
Informes Unergia
Acordos
Normas Eletrobras ACT
Você!
Saúde e Vida
Eventos
Galeria de Imagens
Jogos
Notícias
Processos Judiciais
Sistema Eletrobrás
Eletros
Link's Úteis
Balanço
Fale com a Aeel
Como Votar?
Eleições 2017


 

ÁREA RESTRITA

Para ter acesso ao sistema preencha os campos baixo:





 

 

Esqueci a senha

 


  Notícias
  Segundo ranking da Aneel, a Celg-D teve o pior serviço de distribuição de energia elétrica do país em 2013

RIO - A Eletrobras adquiriu o controle da Companhia Energética de Goiás Distribuição (Celg-D), que teve o pior serviço de distribuição de energia elétrica do país em 2013, segundo o ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgado em março último. Para isso, a Eletrobras vai comprar 51% das ações ordinárias da empresa pelo valor de R$ 59.532.810. A decisão foi anunciada pela estatal, que informou que a operação foi aprovada pelo Conselho de Administração, na última terça-feira. Segundo a Eletrobras, a conclusão da operação está sujeita à capitalização da Celg-D, por parte da Celgpar, detentora do controle da distribuidora, que deverá aportar, por meio da emissão de novas ações ordinárias, R$ 1,680 bilhão na empresa.

A operação será aprovada ainda em Assembleia Geral de Acionistas da Eletrobras, no próximo dia 26 de setembro. A Celg-D é responsável pelo atendimento de 237 municípios de Goiás — 98,7% do território do estado — e atende 2,61 milhões de unidades consumidoras. A Eletrobras já tem o controle de seis outras distribuidoras, a maioria do Norte e Nordeste que, com problemas de gestão e prejuízos, foram federalizadas e passaram para a estatal. Elas são de Alagoas, Piauí, Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. Essas distribuidoras com prejuízos constantes têm impactado negativamente o resultado dos últimos anos da Eletrobra. O prejuízo no primeiro semestre deste ano das distribuidoras foi de R$ 866 milhões (a maior parte da Amazonas Energia, com R$ 648 milhões). Em 2013, no mesmo período, o prejuízo foi de R$ 641 milhões (também com a maior parte da Amazonas Energia de (R$ 336 milhões).

Segundo a Eletrobras, a decisão já foi comunicada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por meio de fato relevante no qual informa “que o valor da aquisição foi apurado com base em laudos de avaliação independentes, elaborados por consultorias contratadas pela empresa e pelo governo de Goiás, segundo o critério de Valor Presente Líquido (VPL), de acordo com as informações constantes nas Demonstrações Financeiras de 2013.” Nos estudos de reestruturação da Eletrobras, sempre são avaliadas as possibilidades de a estatal vender essas participações nas distribuidoras.
  Fonte: http://www.abradee.com.br/
  Data de Publicação: 27/08/2014
 
 

Associação dos Empregados da Eletrobras - Telefone /fax: (21) 3553-3501 / (21) 3553-3502
Copyright 2018 - Todos os direitos reservados a AEEL

Desenvolvido por AMANDY SOFTWARE