www.aeel.org.br home | fale conosco
 

Estatuto
Ficha de Inscrição
Informes AEEL
Informes Unergia
Acordos
Normas Eletrobras ACT
Você!
Sa√ļde e Vida
Eventos
Galeria de Imagens
Jogos
Notícias
Processos Judiciais
Sistema Eletrobr√°s
Eletros
Link's √öteis
Balanço
Fale com a Aeel
Elei√ß√Ķes 2017


 

ÁREA RESTRITA

Para ter acesso ao sistema preencha os campos baixo:





 

 

Esqueci a senha

 


  Not√≠cias
  A presidente do Fundo Monet√°ria Internacional (FMI), Christine Lagarde, transmitiu ‚Äúfelicita√ß√Ķes‚ÄĚ √† presidente Dilma Rousseff pela reuni√£o dos lideres do Brics (Brasil, R√ļssia, √ćndia, China e √Āfrica do Sul), efetuada em Fortaleza, nos √ļltimos tr√™s dias, e a pela cria√ß√£o do Arranjo Contingente de Reservas, que complementa a rede de prote√ß√£o financeira mundial.

Em carta √† presidente brasileira, Christine Lagarde disse que a equipe do FMI ter√° ‚Äúgrande satisfa√ß√£o de trabalhar‚ÄĚ com o Brics, ‚Äúcom vistas a refor√ßar a coopera√ß√£o entre todas as partes integrantes da rede internacional de seguran√ßa destinada a preservar a estabilidade financeira no mundo‚ÄĚ.

Lagarde lembrou que a institui√ß√£o mant√©m relacionamento com todas as na√ß√Ķes do Brics. ‚ÄúEsperamos fortalecer ainda mais a nossa coopera√ß√£o futura. Tenciono tamb√©m compartilhar publicamente a minha manifesta√ß√£o de apoio‚ÄĚ, acrescentou.

Na √ļltima ter√ßa-feira, Dilma anunciou, na reuni√£o do Brics, em Fortaleza, a cria√ß√£o do Banco de Desenvolvimento do Brics, que ter√° sede em Xangai, na China. A primeira presid√™ncia do √≥rg√£o ser√° de um representante da √ćndia.

O Arranjo Contingente de Reservas dos Brics ter√° US$100 bilh√Ķes. Cada pa√≠s vai contribuir com o fundo: China (US$41 bilh√Ķes); Brasil, √ćndia e R√ļssia (US$18 bilh√Ķes cada um); e √Āfrica do Sul (US$ 5 bilh√Ķes). A eventual libera√ß√£o dos recursos se dar√° por meio de opera√ß√Ķes de swap (troca), pelas quais o pa√≠s solicitante receber√° d√≥lares e em contrapartida fornecer√° sua moeda aos pa√≠ses contribuintes, em montante e por per√≠odos determinados, segundo o Banco Central brasileiro.


Brasil e China firmam acordos nas áreas de energia e aviação civil

Dilma e o presidente da China, Xi Jinping, assinaram hoje cerca de 30 atos em áreas como aviação civil, energia, sistema financeiro, infra-estrutura, educação, mineração, tecnologia, resseguros, construção e agricultura. Um dos acordos prevê a compra de 60 aeronaves da Embraer pela China.

Ambos assinaram ainda memorando de entendimento para coopera√ß√£o e interc√Ęmbio de dados de observa√ß√£o da terra e acordo para promo√ß√£o de investimento de coopera√ß√£o industrial e de tecnologia da informa√ß√£o. Para aprimorar o Sistema de Prote√ß√£o da Amaz√īnia, os dois pa√≠ses assinaram protocolo na √°rea de tecnologia da informa√ß√£o e sensoriamento remoto.

Na área consular, Brasil e China firmaram acordo para facilitar a emissão de visto de negócios para cidadãos dos dois países. Pelo acordo, o visto terá três anos de validade e permite a permanência no país por até 180 dias.

Em educação, brasileiros e chineses firmaram entendimento para incentivar a difusão do mandarim no Brasil em universidades federais e cursos online. Também foi firmado acordo para oferta de estágio na China para estudantes do Programa Ciência sem Fronteiras.

No setor energ√©tico, foi assinado acordo de coopera√ß√£o estrat√©gica entre Eletrobras, Furnas e as empresas chinesas China Three Gorges Corporation e CWEI Participa√ß√Ķes para incremento de coopera√ß√£o na constru√ß√£o da Hidrel√©trica do Rio Tapaj√≥s.

De acordo com o Pal√°cio do Planalto, Dilma e Jinping assinaram acordo para promo√ß√£o de investimento e coopera√ß√£o industrial. O instrumento visa √† intera√ß√£o de empresas e institui√ß√Ķes financeiras dos dois pa√≠ses nas √°reas de energia, minera√ß√£o, infra-estrutura, ind√ļstria e agricultura. Prev√™ tamb√©m uma reuni√£o anual com representantes do Minist√©rio de Desenvolvimento, Ind√ļstria e Com√©rcio e a Comiss√£o Nacional de Desenvolvimento e Reforma. Em infra-estrutura, tamb√©m foi assinado memorando de entendimento sobre coopera√ß√£o para elabora√ß√£o de projetos ferrovi√°rios.

Depois de encontro no Palácio do Planalto, Dilma e Jinping encontram-se com empresários dos dois países, no Palácio Itamaraty, no encerramento da reunião do Conselho Empresarial Brasil-China.

√Ä tarde, tamb√©m no Itamaraty, ocorre a reuni√£o de c√ļpula Brasil-China-Quarteto da Celac-Pa√≠ses da Am√©rica do Sul-M√©xico. O quarteto da Comunidade dos Estados Latinos-Americanos e Caribenhos (Celac) √© formado por Chile, Ant√≠gua Barbuda, Cuba e Costa Rica.

√Ä noite, os presidentes participam de um evento que comemora os 40 anos de rela√ß√Ķes diplom√°ticas entre Brasil e China no Centro de Conven√ß√Ķes Ulysses Guimar√£es.

Ontem, Dilma e Jinping participaram com 14 chefes de Estado do segundo dia de reuni√Ķes da 6¬™ C√ļpula do Brics, que teve a participa√ß√£o dos presidentes da Am√©rica do Sul.
  Fonte: http://www.monitormercantil.com.br/
  Data de PublicaÁ„o: 18/07/2014
 
 

Associação dos Empregados da Eletrobras - Telefone /fax: (21) 3553-3501 / (21) 3553-3502
Copyright 2019 - Todos os direitos reservados a AEEL

Desenvolvido por AMANDY SOFTWARE